Aranhas mais venenosas do Brasil – Veja a lista!

Geral

São cerca de 40 mil espécies diferentes de alguns dos seres que mais assustam as pessoas. Imagine que ao sonhar com aranha, você pode estar frente a frente com um aracnídeo venenoso ou inofensivo, pequeno ou grande.

Independentemente de você acreditar em sonhos, signos ou outros assuntos do tipo, entenda que as aranhas precisam ser compreendidas e respeitadas, afinal é um animal único que pode causar acidentes e até mesmo letalidade nos seres humanos.

No Brasil, podemos destacar estas como as 5 aranhas mais venenosas!

aranha pequena

1– Aranha-reclusa-chilena

Encontrada no Brasil e na América do Sul, no geral, essa é uma espécie de aranha marrom que se adaptou facilmente à cidade, por isso é vista dentro de residências, dentro de móveis e inclusive calçados.

Metade dos casos de envenenamento por picada de aranha no país é em decorrência desta espécie.

2– Aranha-marrom

Muito conhecida, a aranha-marrom não existe apenas no Brasil, mas em regiões de clima quente em várias partes do mundo.

São bastante pequenas, entre 4 e 6 centímetros. 

3– Viúva-marrom

Espécie encontrada no Brasil e em outros países tropicais, cujo veneno é tóxico para o ser humano. 

Embora esse ponto, essa aranha não é agressiva e só costuma picar sua ameaça quando se vê em situação de perigo.

São pequenas, com as fêmeas sendo maiores que os machos – atingindo no máximo 10 centímetros.

4– Viúva-negra

Bastante popular, a viúva-negra aparece no Brasil e em outros países da América do Sul. Com cor preta brilhante, essa espécie se destaca pela mancha vermelha existente no seu abdômen. 

As fêmeas são maiores que os machos.

5– Armadeira

O próprio nome já traz uma sensação alarmante e é bem isso. A aranha armadeira pode causar morte rápida em seres humanos, pois seu veneno atua muito rápido no organismo.

A substância provoca paralisia nos músculos, o que pode causar parada respiratória.

A armadeira é a segunda maior causa de acidentes no país.

Entenda mais sobre a aranha armadeira na página do G1.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *